Criola

Notícias - 29/jan/2019

Dia da Visibilidade Trans

O Brasil é um dos países que mais violam os direitos da população LGBTI.

De acordo com o Dossiê Assassinatos e Violência Contra Travestis e Transexuais no Brasil 2018, que foi realizado pela ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil), e entregue para o Fundo de População das Nação Unidas (UNFPA), 163 assassinatos de pessoas trans aconteceram no país ano passado: 158 travestis e mulheres transexuais, quatro homens trans e uma pessoa não-binária.

Segundo o Dossiê, 82% das vítimas eram pretas e pardas (negras).

O Rio de Janeiro foi Estado o que mais matou a população trans em 2018 (16 assassinatos), seguido pela Bahia (15), São Paulo (14) e Ceará (13).

O Transfeminicídio acontece entre todas as faixas etárias. Uma pessoa trans apresenta mais chances de ser assassinada do que uma pessoa cisgnênera. Porém estas mortes ocorrem com maior intensidade entre travestis e mulheres transexuais negras.

Seguimos na luta pelo acesso ao direito de todas e de todos!