Criola

Notícias - 16/jun/2018

Líder da Rede Nacional de Religiões Afro-brasileiras e Saúde recebe honraria da ALERJ

José Marmo da Silva é agraciado com a Medalha Tiradentes

Na próxima segunda-feira, dia 25 de junho, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro concede a homenagem póstuma, a Medalha Tiradentes, para o ativista de Direitos Humanos, militante do movimento negro e da Rede Nacional de Religiões Afro-brasileiras e Saúde (Renafro), José Marmo da Silva.

A homenagem proposta pelo deputado estadual Carlos Minc para José Marmo da Silva é uma honraria concedida a personalidades nacionais ou estrangeiras que tenham serviços prestados ao Estado do Rio de Janeiro, ao Brasil ou à Humanidade.

Na defesa da resolução que permite a homenagem, o deputado resgata a eficiência e o cuidado do ativista em  valorizar e potencializar o saber dos terreiros em relação à saúde.

Para o ativista, o combate ao racismo sempre foi um tema urgente e, por isso, não poupou esforços no desenho e execução de estratégias para enfrentar os desafios do presente e do futuro com relação ao combate ao racismo, inclusive o religioso, a promoção da saúde da população negra e dos saberes tradicionais, à atenção e cuidado com as pessoas que vivem com HIV e para com os jovens. Não era difícil ouvir José Marmo dizer que o combate ao racismo era uma pauta para ser enfrentada hoje, porque o povo não poderia esperar para viver com dignidade.

No campo do enfrentamento da epidemia de HIV/Aids, quando pesquisadores ainda buscavam desvendar a AIDS, gestores implementavam políticas e ativistas fortaleciam seus argumentos e estratégias  para incidência política e tecnologias de prevenção, Marmo provocava discussões e ações no campo das religiões. Foi dos primeiros a discutir e atuar nesse campo, primeiro no Instituto de Estudo da Religião (ISER) e depois na Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (ABIA) oferecendo elementos concretos para compreender contextos de vulnerabilidade e  propor intervenções simples, precisas e alinhadas com os saberes ancestrais.

Por meio da Renafro, estimulou práticas de promoção da saúde; monitorando e intervindo nas políticas públicas de saúde exercendo o controle social; legitimando as lideranças dos terreiros enquanto detentores de saberes e poderes para exigir das autoridades locais um atendimento de qualidade, onde a cultura do terreiro seja reconhecida e respeitada; reforçando a importância de interligar as práticas de saúde realizadas nos terreiros com as práticas de saúde no SUS; contribuindo assim para uma reflexão sobre diferentes aspectos da saúde da população dos terreiros e estabelecendo um canal de comunicação entre os adeptos da tradição religiosa afro-brasileira, os gestores, profissionais de saúde e os conselheiros de saúde.

Na Trupe da Saúde e na Companhia da Saúde ele mostrou mais um de seus talentos ao elaborar esquetes teatrais usando também a arte como forma de resistência e disseminação de informação em saúde.

Em Criola, atuou  na consolidação da estratégia de implementação de uma política nacional de saúde da população negra, desenvolvendo capacitações, publicações e representação em instâncias de controle social da saúde na esfera nacional e estadual. Foi responsável pela construção e coordenação do Fórum Estadual de Saúde da População Negra do Rio de Janeiro. Coordenou o Projeto Ponto de Cultura Negras na História, promovendo encontros culturais e políticos; organizando a biblioteca Gésia de Oliveira e elaborando publicações sobre o pensamento das mulheres negras e suas biografias. Era o único homem a assumir posto de coordenador na organização e contribuiu ativamente como um facilitador no diálogo entre e com mulheres negras de diferentes frentes de atuação.

O histórico comprova que toda a trajetória de militância, de José Marmo da Silva, dentro dos terreiros, na universidade, no consultório (ele era cirurgião dentista), nas organizações não-governamentais e, em tantos outros espaços de promoção da saúde, combate às intolerâncias e ao racismo, foi marcada pela alegria, criatividade, inovação, resiliência e na crença de dias melhores para todos e todas.

Sobre a Renafro. A Renafro possui 48 núcleos no país e integra diversos espaços de decisão de políticas públicas de saúde, entre eles: Comitê Técnico de Saúde da População Negra do Ministério da Saúde, Comissão Intersetorial de Saúde da População Negra do Conselho Nacional de Saúde, Comissão Intersetorial de Saúde da População LGBT do Conselho Nacional de Saúde, Comitê Nacional de Educação Popular e Saúde do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Segurança Alimentar, Conselho Nacional de Juventude , Conselhos Municipais e Estaduais de Saúde entre outros.

 

Serviço

Medalha Tiradentes

Data: 25 de Junho de 2018, segunda-feira.

Horário: 13h30

Local: Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Rua Primeiro de Março s/n. Praça XV. Rio de Janeiro RJ. Evento aberto ao público.