Criola
Quem Somos

CRIOLA

Criola é uma organização da sociedade civil com 29 anos de trajetória na defesa e promoção dos diretos das mulheres negras e na construção de uma sociedade onde os valores de justiça, equidade e solidariedade são fundamentais. Nesse percurso, Criola reafirma que a ação transformadora das mulheres negras cis e trans é essencial para o Bem Viver de toda a sociedade brasileira.

VISÃO:

Mulheres negras como agentes de transformação, vivendo em uma sociedade fundada em valores de justiça, equidade e solidariedade, em que a presença e contribuição da mulher negra sejam acolhidas como um bem da humanidade.

MISSÃO:

Instrumentalizar as mulheres negras – jovens e adultas, cis e trans – para o enfrentamento ao racismo, sexismo, lesbofobia e transfobia. E ainda para atuar nos espaços públicos, na defesa e ampliação dos seus direitos, da democracia, da justiça e pelo Bem Viver.

Atuação

Estamos dedicadas a cobrar, monitorar e defender os direitos das mulheres negras, especialmente o direito à saúde, o acesso à justiça e à equidade de gênero, raça e orientação sexual.

Nossa luta se reflete nos seguintes pilares:

  • Ação política e mobilização social:
    • Produção de estudos, pesquisas e análises sobre as condições de vida das mulheres negras para a mobilização da sociedade.
    • Assessoria técnica para instituições públicas e privadas, visando influenciar suas políticas de diversidade.
    • Monitoramento das políticas voltadas às mulheres negras.
    • Promoção de ação política junto às instituições públicas e privadas, bem como articulação com outros setores da sociedade engajados na luta por direitos.
  • Conhecimento e formação:
    • Cursos e encontros voltados para a ação política e para ampliação do conhecimento e fortalecimento das habilidades das mulheres negras e públicos de interesse.
    • Campanhas de mobilização, publicações e eventos.

POLÍTICA DE SALVAGUARDA:

Criola assume publicamente seu compromisso com a proteção do público em situação de vulnerabilidade envolvido em seus projetos e ações contra danos causados por suas colaboradoras. Para proteger essas meninas, adolescentes e mulheres negras cis e trans em situação de vulnerabilidade, Criola compromete-se a:

  1. Respeitar todas as pessoas igualmente, sem qualquer distinção de raça, sexo, religião, cor, origem nacional ou étnica, língua, estado civil, orientação sexual, idade, condição socioeconômica, deficiência, convicção política ou qualquer outra característica diferenciadora que provoque exclusão.
  2. Não tolerar nenhuma conduta que cause ou venha a causar danos às pessoas em situação de vulnerabilidade. E adotará, para isso, todas as medidas ao seu alcance para evitar, no âmbito de qualquer de seus programas, projetos e ações, a ocorrência de danos às meninas, adolescentes e mulheres cis e trans em situação de vulnerabilidade.
  3. Estimular a comunicação de qualquer suspeita de dano decorrente da atuação da Instituição ou de seus colaboradores, apurando-a e tomando as providências necessárias para reparar as vítimas, punir os responsáveis e evitar que episódios semelhantes voltem a ocorrer.

Acesse aqui nossa Política de Salvaguarda.

Equipe

Beatriz Moreira Costa, Mãe Beata
Presidenta de Honra (in memoriam)

Thereza Antônio de Castro
Diretora Executiva

Guaraciara Mathilde Werneck Maria
Diretora Executiva

Lúcia Xavier
Coordenadora Geral

Cristina Carvalho
Coordenadora de Gestão

Júlia Tavares
Coordenadora de Comunicação

Lia Maria Manso Siqueira
Coordenadora de Projetos

Marina Ribeiro
Coordenadora de Projetos

Mônica Sacramento
Coordenadora de Projetos

Lucení Ferreira
Assistente de Administração

Wanda Alves
Assistente Financeira

Débora de Oliveira Vasconcelos
Bibliotecária

Valdilene Oliveira
Bibliotecária

VOLUNTÁRIAS DO GRUPO ESCUTA DE CRIOLA

Wania Maria Coelho Ferreira Cidade
Coordenadora do Grupo Escuta de Criola
Psicanalista, Membro Efetivo e Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro, atual Diretora de Comunidade e Cultura da Federação Brasileira de Psicanálise (FEBRAPSI) e Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ)

Eloá Bittencourt Nobrega
Psicanalista, Membro Associado e Secretária do Conselho Científico da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ)

Maria Elisa Alvarenga 
Coordenadora do Grupo Escuta de Criola
Psicanalista, Membro Associado e Secretária do Conselho Científico da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ)