Criola
Quem Somos

Share on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterEmail to someone

CRIOLA

CRIOLA é uma organização da sociedade civil, fundada em 1992, e desde então, conduzida por mulheres negras. CRIOLA define a sua atuação na defesa e promoção dos direitos das mulheres negras e na construção de uma sociedade onde os valores de justiça, equidade e solidariedade são fundamentais.

MISSÃO: Instrumentalizar mulheres, adolescentes e meninas negras para o enfrentamento ao racismo, sexismo, lesbofobia e transfobia. E para o desenvolvimento de ações voltadas à melhoria das condições de vida da população negra e das mulheres negras em especial.

VISÃO: Buscamos a inserção de mulheres negras como agentes de transformação, contribuindo para a construção de uma sociedade fundada em valores de justiça, equidade e solidariedade, em que a presença e contribuição da mulher negra sejam acolhidas como um bem da humanidade.

OBJETIVOS:

  • Criar e aplicar novas tecnologias para a luta políticas de grupos de mulheres negras;
  • Produzir conhecimento qualificado por dados específicos sobre o contexto atual das questões de direitos;
  • Formar lideranças negras aptas a elaborar suas agendas de demanda por políticas públicas e a conduzir processos de interlocução com gestores públicos;
  • Incrementar a pressão política sobre governos e demais instâncias públicas pela efetivação de direitos, particularmente o direito à saúde, o acesso à justiça e à equidade de gênero, raça e orientação sexual.

Atuação

Share on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterEmail to someone
As ações de CRIOLA estão voltadas para:
  • Criação e aplicação de novas tecnologias para a luta políticas de grupos de mulheres negras;
  • Produção de conhecimento qualificado sobre as mulheres negras;
  • Formação de lideranças negras aptas a elaborar suas agendas de demanda por políticas públicas e a conduzir processos de interlocução com gestores públicos;
  • Mobilização e ação política sobre setores da sociedade, governos e demais instâncias públicas pela efetivação de direitos, particularmente o direito à saúde, o acesso à justiça e à equidade de gênero, raça e orientação sexual.
Áreas:
  • Justiça e direitos humanos
  • Saúde
  • Memória e reconhecimento
  • Arte/empreendedorismo e trabalho
  • Formação, difusão do pensamento das mulheres negras

 

Equipe

Share on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterEmail to someone
CONSELHO DELIBERATIVO:

Beatriz Moreira Costa, Mãe Beata
Presidenta de Honra (in memorium)

Thereza Antônio de Castro
Diretora Executiva

Guaraciara Mathilde Werneck Maria
Diretora Executiva

COORDENAÇÃO TÉCNICA:

Lúcia Xavier
Coordenadora Geral
Assistente Social, formada pela Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atuou no Conselho Estadual da Criança e do Adolescente e no Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial, representando a Articulação de ONGs de Mulheres Negras Brasileiras/AMNB (2004). Recebeu a Medalha do Reconhecimento Chiquinha Gonzaga conferida pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro.
Temas de interesse: raça, gênero, direitos humanos, políticas públicas, saúde da mulher negra e antirracismo.
luciaxavier@criola.org.br

José Marmo da Silva (in-memoruim)
Coordenador Geral e do Projeto Ponto de Cultura Negras na História
É Dentista, formado pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É coordenador da Rede Nacional de Religiões Afrobrasileiras e Saúde. Foi coordenador do Projeto Odô Iyá, uma das primeiras iniciativas sobre AIDS e população negra no Brasil. Trabalha com saúde da população negra, prevenção ao HIV/Aids, saúde nos terreiros, políticas públicas, religiosidade de matriz africana e antirracismo.
Temas de interesse: saúde, raça, gênero, religiões de matriz africana, direitos humanos, políticas públicas e antirracismo
semireligafro2007@yahoo.com.br

Luciane O. Rocha
Voluntária
Antropóloga, tem graduação em Ciências Sociais pela UFRJ, mestrado e doutorado em Antropologia Social e Diáspora Africana pela University of Texas at Austin com especialização em estudos de gênero e da mulher. É moradora da Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, e pesquisa violência urbana e maternidade negra, racismo e antirracismo, diáspora africana e ativismo.
lucianeorocha@criola.org.br

Maria Aparecida de Assis Patroclo
Voluntária
Médica, especialista em Epidemiologia e Doutora em Saúde Pública. Tem experiência com avaliação de programas e serviços, tuberculose, hanseníase, aids, vigilância epidemiológica. Já recebeu várias premiações em congressos nacionais e internacionais. Participou de movimentos em prol da melhoria das condições de saúde da população e das condições de trabalho e salário dos profissionais de saúde. Atualmente é professora-adjunta de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina e Cirurgia da UNIRIO/RJ.
ma.patroclo@uol.com.br

Lucení Ferreira
Adminstradora
Nasceu em Minas Gerais e veio para o Rio de Janeiro dar suporte a uma pessoa da família que sofreu um grave acidente. Depois, trabalhou como secretária de uma jornalista. Em 2001, chegou a Criola e atualmente é a administradora da instituição.
luceni@criola.org.br

Ana Míria dos Santos Carvalho Carinhanha
Advogada, formada pela UFBA, doutoranda em Ciências Sociais e Jurídicas na UFF, mestre em Criminologia pela Faculdade de Direito e Criminologia da Université Catholique de Louvain (2014). Participa de coletivos e grupos de pesquisa em Criminologia, Sexualidade, Direito, Raça e Democracia. Em Criola é pesquisadora e realiza a consultoria “Sistema de Justiça em Foco: dinâmicas de reprodução, combate ao racismo e promoção da igualdade racial” para o Fórum de Justiça.

Daniele Duarte
Assistente Social, formada pela PUC-Rio, com o pós-graduação lato-sensu em Assistência Social e Direitos Humanos. Tem como áreas de interesse raça, gênero e juventude. Em Criola, desenvolve projetos relacionados com as seguintes áreas: direitos sexuais e direitos reprodutivos e juventude.

Lia Maria Manso Siqueira
É advogada, professora de Direito e pesquisadora. Mestra em Direitos Humanos e Inovações pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Em Criola é assistente e consultora do projeto Mulheres Negras Fortalecidas na Luta Contra o Racismo e o Sexismo. Tem como áreas de interesse, na militância e na pesquisa: Direitos Humanos, Raça, Gênero, Mulheres Negras, Interseccionalidade e Advocacia Popular. Faz parte também do coletivo de mulheres negras, PretAção, membra da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da OAB – subseção Juiz de Fora – MG e é blogueira no “UHURU, ativismo negro para liberdade”.

Mônica Cunha
Mobilizadora do Projeto Justiça para as Mulheres Negras

Mobilizadora do Projeto Justiça para as Mulheres Negras.É fundadora do Movimento Moleque uma ação que atua com o fortalecimento das mães que tiveram filhos mortos pela ação do estado e na ampliação do debate sobre a eficácia das instituições prestadoras de medidas socioeducativas.

Mônica Sacramento
É doutora em Educação pela Universidade Federal Fluminense e em Criola desenvolve o conteúdo programático das oficinas de segurança e auto-cuidado para ativistas.

Viviane Gomes
É Jornalista e tem como áreas de interesse comunicação comunitária, comunicação para mudança social, marketing, mídias digitais, tecnologia, redes, direitos humanos, gênero, mulheres negras e saúde. Em Criola, oferece suporte à Plataforma Alyne – Em Defesa das Mulheres Negras.
viviane@criola.org.br

Parcerias

Share on FacebookGoogle+Tweet about this on TwitterEmail to someone

Ao longo dos anos, Criola estabeleceu uma série de parcerias locais, nacionais e internacionais, além de contribuir para a criação e funcionamento de Redes e Articulações.

Instituições que atualmente apoiam as atividades de Criola
  • Oxfam Brasil/ Embaixada Britânica
  • Baobá – Fundo para Equidade Racial / Instituto Unibanco / Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Elas Fundo de Investimento Social
  • Geledés Instituto da Mulher Negra/ Open Society Foundations
  • Coletivamujeres del Uruguay / Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID)
Ao longo de nossa trajetória, Criola recebeu os seguintes apoios:

AJWS • Ashoka – Empreendedores Sociais, AVINA • Banco Interamericano de Desenvolvimento/ BID • Baobá – Fundo para Equidade Racial/ TIDES Foundation • CMC-PSO • CORDAID • DFID • FASE/ SAAP • Frauen Anstifitung • Fundação Cultural Palmares • Fundação Heinrich Böll • Fundo Ângela Borba • Fundo Fiduciário das Nações Unidas Contra a Violência Contra a Mulher • Fundo Nacional de Saúde • Global Exchange • Global Fund for Women • ICCO • Global Fund for Women • Instituto Avon • Inter-American Foundation/IAF • Mama Cash, McKinsey & Co • Melânia Foundation • Ministério da Saúde/CN-DST/AIDS • MLAL • MUIMBRAS • Public Welfare.

REDE E ARTICULAÇÕES:

Com o Axé de mulheres negras líderes e profissionais
  • Mãe Meninazinha de Oxum (Maria do Nascimento)
  • Obassy (Celita Vieira de Abreu, in memorian)
  • Creuzely Ferreira da Silva
  • Mãe Torody (Olydia Maria S. Lyra)
  • Dona Zica (Anazir Maria de Oliveira)
  • Fezinha (Maria da Fé da Silva Viana)
  • Wania Cidade
  • Leci Brandão
  • Conceição Evaristo
  • Ilea Ferraz
  • Mãe Lúcia de Oxum (Ana Lúcia Ferreira)
Bem como de parte significativa da comunidade negra.