Criola

Campanhas | Destaque | Notícias - 22/jun/2021

Leia nota de Criola e exija responsabilização dos investigados na CPI da Covid-19

Neste momento de dor e luto, Criola se solidariza com as famílias dos mais de 500 mil mortos pela Covid-19. A doença escancara, mais uma vez, as trágicas consequências do racismo no Brasil, já que a população negra corresponde à maioria dos óbitos. São quilombolas, periféricos, favelados, trabalhadoras e trabalhadores com pouca escolaridade, informais. Pessoas que já viviam em condições precárias de acesso à saúde e que tiveram suas vidas negligenciadas pelo Estado durante a crise sanitária.

Destacamos que o enfrentamento do racismo, dentro e fora do SUS, é requisito fundamental para garantia da saúde como direito. No Brasil, onde se tinha, até então, a melhor política de imunização do mundo, agora é preciso reivindicar vacina para todes.

A saúde é o resultado de um conjunto de condições individuais e coletivas influenciado por circunstâncias de ordem política, econômica, ambiental, cultural e social. Logo, em muitas situações, a doença e a morte não são obras do destino ou fatalidade, mas, sim, violação dos direitos.

Pela vida das mulheres negras cis e trans, seguiremos em luta para fortalecer o papel da sociedade civil como agente mobilizador em defesa de direitos. Cobramos do Estado a garantia do direito à vida com dignidade, à saúde, à segurança alimentar e à justiça.

Venha fortalecer essa luta!

Criola, Anistia Internacional Brasil, Oxfam Brasil, INESC, IDEC, Terra de Direitos, Olodum, Justiça Global, Movimento Nacional de Direitos Humanos e o Observatório das Metropoles iniciaram uma campanha para cobrar que os possíveis apontados no relatório final da CPI sejam processados judicialmente pela má gestão durante a pandemia no país. Por isso, vamos entregar após a conclusão da CPI uma petição com o alvo no Procurador Geral da República, Augusto Aras, principal líder e representante do Ministério Público Federal, órgão responsável por processar judicialmente os possíveis apontados no relatório final.

Para garantir que a pressão no Ministério Público seja massiva, convidamos você a assinar a petição demandando que o Procurador Geral de República do Brasil, Sr. Augusto Aras, garanta responsabilização sobre as possíveis irregularidades na gestão da pandemia no país.

-> Acesse aqui o link da petição.

Acompanhe postagens nas redes sociais de Criola (@ongcriola), Anistia Brasil (@anistiabrasil) e parceiras para compartilhar e divulgar essa iniciativa. Contamos com você!