Criola

Destaque | Notícias - 14/jan/2019

Assassinato de Marielle Franco segue sem repostas

Nós de Criola estamos acompanhando o caso Marielle Franco e seguimos mobilizadas, inclusive com uma petição em nossa plataforma Alyne que foi entregue ao Ministério Público. Se você ainda não assinou, por favor, assine e exija justiça (acesse: https://bit.ly/2VXcwTg). Pressionar a Justiça e o Governo tem sido uma constante na rotina de organizações da sociedade civil no Brasil e no mundo!

Marielle Franco foi uma grande defensora dos Direitos Humanos. Atuou em muitos casos à frente da Comissão da Mulher da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, que foi presidida por ela, e também coordenou a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), ao lado de Marcelo Freixo. Mulher negra, moradora de comunidade, sempre colocou a equidade de gênero, raça e orientação sexual, como prioridade. O assassinato da vereadora é também uma afronta aos Direitos Humanos e precisa ser investigado e solucionado.

Abaixo, notícias recentes sobre o Caso Marielle. Não nos calarão!

>> Witzel diz que assassinos de Marielle podem ser presos até o final deste mês

A morte da parlamentar e seu motorista completa 10 meses na próxima segunda-feira (14). A informação de que já há suspeitos identificados já havia sido confirmada no dia 9 de janeiro pelo delegado Antônio Ricardo, empossado diretor do Departamento Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP).

Saiba mais: https://glo.bo/2FpEnGK

>> Relatores da ONU cobram resposta de Bolsonaro sobre morte de Marielle

Ao solicitar investigações “independentes, imparciais, transparentes e efetivas”, os relatores apresentaram uma lista de cinco solicitações às autoridades brasileiras, entre elas a divulgação de detalhes das investigações sobre o assassinato. O grupo ainda pediu que fossem explicadas as medidas que existem no Brasil para “garantir que os defensores de direitos humanos possam realizar seu trabalho legítimo sem ameaças ou atos de intimidação”.

Saiba mais: https://bit.ly/2M69g3f