Criola

Destaque | Notícias - 09/jun/2021

Nota de Criola: Morte de Kathlen Romeu e o genocídio da população negra

Mais um tiro disparado encontra um corpo negro. Desta vez, perdemos a jovem Kathlen Romeu, de 24 anos,que caminhava nas ruas de Lins de Vasconcelos, bairro da zona Norte do Rio, enquanto acontecia uma operação da Polícia Militar.

Kathlen, que trabalhava como designer de interiores, estava grávida de 4 meses. Ela chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. São vidas e futuros interrompidos pela mais brutal expressão do racismo no Brasil.

O caso obriga a sociedade a uma reflexão urgente sobre a tragédia da mortalidade materna de pessoas negras no país, que já têm menor acesso à saúde de qualidade e à direitos sexuais reprodutivos. A morte de Kathlen também torna nítida a irracionalidade de operações policiais que, ao invés de proteger as pessoas, há décadas promovem o genocídio da população negra.

Desde o ano passado, a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 635, conhecida como “ADPF das favelas”, afirma que não devem ser realizadas operações policiais em comunidades do Rio de Janeiro durante a epidemia de Covid-19. O constante descumprimento da medida, como ocorreu na chacina do Jacarezinho, há um mês, evidencia a fragilidade do Estado democrático  de direito no país.

Criola se solidariza à dor dos familiares e amigos de Kathlen Romeu e reafirma sua luta permanente contra o genocídio da população negra e em defesa dos direitos de mulheres negras.